NÃO SE APOSENTE DA VIDA.

Publicado: 28/03/2018 em Poesia

 

Andando pelas Jaqueiras da vida as pernas comandam tudo. Até os olhos percebem o compasso da caminhada e vão ora lentos ora acelerados buscando o conforto natural que as caminhadas trazem.

Tudo é tão claro certas manhãs e tão diferentes das noites que ouso dizer que é fácil viver. Noutros momentos , onde a inevitável dor nos alcança, a capacidade de enxergar diminui. Como se os olhos da alma duelassem com os olhos que o cérebro lança no mundo já não encontrassem capacidade de convívio e de paz.

Enquanto a volta para casa é pura festa e endorfinas fazem isso mesmo encontro um livro de Alice Ruiz. É outra festa para se comer hai-kais feitos com tanta maestria pela poeta dos meus sonhos e de tanto tempo compartilhados que às vezes parece que a conheço, já estivemos juntos, já não há essa distância impossível.

Olha ela me dizendo o quanto a vida é possível com um olhar dentro de olhares possíveis e benfazejos:

  1. Aqui as estações passam e cada uma vai deixando o seu perfume:
  2. “primavera
    até a cadeira
    olha pela janela”
  3. Aqui o tempo é soberano e a fotografia é imensa:
  4. Correndo risco
    a linha do corpo
    ganha seu rosto

Aqui é para acordar mesmo. Poesia e poeta imensas:

Lembra

 

Lembra o tempo
em que você sentia

e sentir
era a forma
mais sábia de saber

E você nem sabia?

 

Anúncios

Os comentários estão desativados.