A VIDA EM 24 FPS. POR HOULDINE NASCIMENTO.

Publicado: 30/09/2012 em Poesia

A Rede Social (The Social Network, EUA, 2010)

Drama biográfico, 120 min.

 

 

Em A Rede Social, Mark Zuckerberg, é mostrado como um sujeito frio, quase não expressando emoção, com pouca (ou nenhuma) aptidão para amizades, mas extremamente decidido sobre o que quer. O que constitui um paradoxo, pois criou o que hoje é o maior e mais valorizado site de relacionamentos, o Facebook. Usando como sustentação o livro “Bilionários por acaso”, de Ben Mezrich, a história do longa-metragem trata exatamente da vida do programador Mark Zuckerberg, hoje com 28 anos e um dos homens mais ricos do mundo. E de como ele chegou a esta situação.

 

O filme tem início com uma discussão entre Zuckerberg (Jesse Eisenberg) e a namorada Erica Albright (Rooney Mara), que põe fim à relação. Revoltado, Mark a difama em seu blog e cria um site em que meninas estudantes de Harvard estão expostas a avaliações. Após isso, percebe-se que ele está respondendo a dois processos: um do até então único amigo, o brasileiro Eduardo Saverin (Andrew Garfield), e o outro dos gêmeos esportistas Cameron e Tyler Winklevoss (vividos por um só ator, Armie Hammer). Ambos reivindicam a fundação do Facebook. A partir daí, vemos flashbacks da época em que era estudante de Harvard e quando é explicado o porquê das ações judiciais.

 

O longa tem a direção precisa de David Fincher e está entre os seus melhores trabalhos. O roteiro foi adaptado por Aaron Sorkin, um homem típico da TV estadunidense (ele é o mentor da conhecida série “The West Wing – Nos Bastidores do Poder”, que no Brasil foi exibida pelo SBT e Warner Channel). Uma das participações interessantes na trama fica por conta do cantor pop Justin Timberlake como Sean Parker (um dos inventores do programa Napster), um vigarista e sem escrúpulos. Sua figura é um bom contraponto a de Saverin e importante para o desenvolvimento da história. Vê-se que Mark fica vislumbrado com as propostas de Sean, a ponto de trair o melhor amigo.

 

Jesse Eisenberg está muito bem no papel central (algumas falas dele são tão ágeis que os personagens aparentam ter dificuldade de acompanhá-las). No final do filme, há uma cena em que Mark Zuckerberg procura a ex-namorada no Facebook e a “adiciona”. Por curiosidade, fui pesquisar, e não é que a moça está lá? Em 2011, A Rede Social chegou a ser indicado para oito Oscars e acabou arrebatando três (roteiro, trilha sonora e montagem). É um filme bem-feito.

Anúncios
comentários
  1. João Carlos disse:

    Houldini não poderia ser mais preciso. O filme,de fato, é muito bom!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s