SÁBADO SOM. POR JOÃO CARLOS DE MENDONÇA.

Publicado: 29/09/2012 em Poesia

B O B     M A R L E Y

 

Que eu lembre, mesmo sendo o reggae um estilo que já rolava desde os anos 60, só no comecinho da década de 70 ele começou a aparecer nas rádios com força. “I Can See Clearly Now” e “You Can Get It If You Really Want” já rolavam em festinhas e boates como hits do momento. Não dava ainda para distinguir “quem era quem” e nem a origem daquela música que, entre suas variantes,tem um tipo de compasso que muito se assemelha ao “xote” nordestino. Ali por volta de 1975 a coisa começou a clarear quando Bob Marley alcançou as paradas do mundo inteiro com “No Woman No Cry” e por conseguinte, mais dois ícones do estilo viriam á tona: Peter Tosh e Jimmy Cliff , apesar de outros grandes nomes ganharem notoriedade em seguida. Outro fato inegável, foi a gravação de ERIC CLAPTON de “I Shot The Sheriff” de Bob Marley, naquele que seria considerado seu melhor álbum na ocasião. Desde então, na medida em que descobria-se sua arte, MARLEY foi ganhando credibilidade e sua fama alcançou o mundo até tornar-se um dos “grandes” do rock, o que ficou mais acentuado depois de sua precoce morte. Para se ter idéia, citar seus clássicos provavelmente ocuparia todo este “post”, mas vale lembrar Redemption Song, Get Up Stand Up, Three Little Birds, Buffalo Soldier, Jammin’, Kaya, Waiting In Vain, Is This Love e mais um número incontável de sucessos, a maioria gravada e regravada pelos mais variados artistas e dos mais diversos estilos do planeta. Virou até ídolo dos “surfistas” e do pessoal “cabeça”.
Poucos sabem , ROBERT NESTA MARLEY nasceu na Jamaica, filho de uma adolescente nativa com um oficial inglês branco. No dia seguinte ao casamento, seu pai se foi, embora continuasse à enviar dinheiro para a mãe até falecer em 1955. Mãe e filho tiveram de mudar-se para um bairro-favela chamado Trenchtown. Ali, curiosamente, Marley sofreu com a discriminação por ser “mulato” e por ter baixa estatura. Mas aquela “barra pesada” ajudou a forjar sua personalidade e deu-lhe consciência crítica do mundo. Por suas entrevistas e principalmente suas letras, enxergava mais longe que a simples dicotomia branco/preto.
Sua música nasceu junto com a banda THE WAILERS, que formou com Peter Tosh e Bunny Wailer (que também virariam estrelas do rock), começando pelo “ska” até chegarem ao reggae. O sucesso local espalhou-se pelo Caribe, até que Tosh e Bunny resolveram seguir carreira solo. De toda maneira, Marley manteve o núcleo da grupo e suas vocalistas,batizados como Bob Marley & The Wailers, indo se estabelecer na Inglaterra, de onde poderia expandir sua arte pelo mundo. Antes de pegar o avião, envolveu-se com um show organizado pelo 1º Ministro Michael Mandley, o que quase lhe custou a vida. Ele,sua esposa Rita e um amigo foram baleados dentro de casa por opositores, mas todos se salvaram.
Influenciado pela parceira, aderiu à religião rastafári recebendo os ensinamentos do guru Mortimer Planno e entrou de cabeça. Virou uma espécie de missionário da seita (e muitos dos seus colegas “regueiros” o seguiram) e sua relação com a maconha nunca foi realmente compreendida no ocidente. A “cannabis” nunca foi uma mera curtição , mas por seus efeitos relaxantes,ele a usava para meditar e orar, só ou em grupo. De fato não era um adepto de outras drogas , segundo consta, não usava bebidas alcoólicas e era praticante de esportes (corrida e futebol). Tanto quanto sua música, ele difundia essas idéias abertamente, com convicção. Justamente, numa prosaica “pelada” de futebol, Marley machucou o dedão do pé. A ferida agravou-se, inclusive, porque recusava-se à tratamentos médicos,mas ao ter de cancelar shows devido às dores, internou-se e poderia estar vivo agora, caso não rejeitasse a amputação do dedo. Triste que o câncer no dedo espalhou-se e em 18 de maio de 1981, ele nos deixou, quando se encontrava internado num hospital na Flórida.
Seria até leviano esquecer a importância de JIMMY CLIFF e PETER TOSH para a difusão e credibilidade do reggae no mundo mas, Bob Marley foi o grande timoneiro. Mais que festivas, suas músicas além de belas tinham conteúdo. Algumas apresentavam fortes elementos políticos mas ele falava de amor,compreensão,paz, natureza e religião de forma comovente. Se hoje o reggae está presente na arte de compositores do mundo inteiro (até Chico Buarque passeou pelo estilo), podemos sem titubear atribuir o feito à Marley. Artistas internacionais como THE POLICE, THE CLASH, McCARTNEY, DIRE STRAITS,STEVIE WONDER, THE ROLLING STONES e tantos outros, além dos nossos PARALAMAS, GIL,CAETANO, CIDADE NEGRA, as “radiolas” do Pará, e põe gente nisso, o reverenciam com justiça. Tal qual LENNON e ELVIS, no mesmo mítico patamar, está o nome de Bob Marley. MERECIDAMENTE !
PS: I LOVE YOU:
– Ao chegar ao Brasil, a gravadora ARIOLA contratou tudo e todos, entre estes Chico e Milton, e para promover o selo trouxe Marley para uma visita, festejada com uma pelada no time de Chico Buarque.
– Segundo seu filho ZIGGY, em 1977, Bob teria aderido ao cristianismo, tendo sido inclusive, batizado.

Anúncios
comentários
  1. Anônimo disse:

  2. João Carlos disse:

  3. João Carlos disse:

  4. João Carlos disse:

  5. Domingos disse:

  6. Domingos disse:

  7. Domingos disse:

  8. Domingos disse:

  9. Domingos disse:

  10. Denise Maia disse:

    Comecei a me aproximar de Bob Marley via Baby Consuelo (ainda quando ela era somente uma divertida louca, mas saudável, sem as mazelas religiosas…), quando ela gravou É Amor (lembro até da capa do disco, ela cercada da penca de filhos). E daí, meu mundo abriu-se pro Bob.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s