SÁBADO SOM.POR JOÃO CARLOS DE MENDONÇA.

Publicado: 18/08/2012 em Poesia

V A N G E L I S
Já na última metade dos anos 60, a música de VANGELIS fazia sucesso por aqui, embora poucos ou ninguém soubesse de quem se tratava. Primeiro com Marie Jolie, depois com Rain And Tears ,It’s Five O’clock e mais adiante com We Shall Dance. Tanto nas rádios como nos “assustados” bem como nos clubes e boates. Era o APHRODITE’S CHILD, grupo grego, liderado pelo tecladista e compositor Evángelus Odysséas Papathanassíu ou melhor, Vangelis Papathanassíu.
Já em Vólos, sua terra natal, aos 4 anos burilava ao piano suas primeiras canções. Autodidata, não tinha paciência para estudar teoria e técnica musicais e só bem mais tarde, já com a carreira em andamento resolveu voltar aos estudos. Há muitas controvérsias nas biografias do artista, mas de fato, ele formou algumas bandas na Grécia, que mais serviam para animar festinhas antes de juntar-se a mais 3 amigos para formarem o APHRODITE’S CHILD. A curiosidade aqui é que o guitarrista cantava muito bem mas a voz que marcaria o som do grupo era a de ninguém menos que a do contra-baixista Demis Roussos. Ele mesmo. Aquele que por um bom período viraria “arroz de festa” no Brasil, desfilando semanalmente no Programa do Chacrinha. A verdade é que o conjunto estourou na Grécia e ganhou o mundo.
Conta-se que ele estava na França durante as históricas revoltas de 68 e que de lá mudou-se definitivamente para a Inglaterra. Estranho porque, o último álbum do Aphrodite’s Child, 666, cujo título sugestivo, longe da “estória” bíblica, era uma alusão crítica à ferrenha ditadura grega e, justamente por isso, foram convidados à Londres (tal Gil e Caetano). Reza a lenda que por interferência do governo grego, não conseguiram gravadora e a banda se desfez. Imediatamente convidado pelo YES para integrar o grupo, onde já vinha ensaiando e participando de gravações, pelo mesmo motivo não permaneceu no conjunto. De qualquer forma, o álbum-duplo 666, apesar de “difícil”, com longos trechos narrativos, sons dramáticos e meio chato, encerrava com uma das mais belas, modernas e instigantes canções do rock, chamada BREAK (simplesmente comovente). A música, lançada em “single” foi merecidamente seu maior sucesso. Chave de ouro e ápice da carreira do Aphrodite’s Child.
Apesar de “censurado” no YES, com o genial líder do grupo, Jon Anderson, iniciou uma carreira elegantíssima, formando a muito bem sucedida dupla JON & VANGELIS, que nos legou discos maravilhosos e hits inesquecíveis como I HEAR YOU NOW, STATE OF INDEPENDENCE (esta,regravada por DONNA SUMMER sob a produção do QUINCY JONES) e a maravilhosa DEBORAH. Aliás, já o seu primeiro disco solo, HEAVEN AND HELL (com Jon nos vocais) foi devidamente aclamado. Vangelis conseguia extrair sons,timbres e texturas com seus teclados que fizeram escola (Jean Michel, Kitaro e outros menos votados que o digam), o que fatalmente o levou às trilhas sonoras para o cinema. E aos prêmios, como o OSCAR pela música de CHARIOTS OF FIRE , cujo tema principal, passou à ser “massacrado” por pianistas de churrascaria do tipo Richard Clayderman. Sua carreira no cinema é vasta, mas vale destacar sua parceria com o diretor Ridley Scott para quem compôs as trilhas de BLADE RUNNER e 1492 – A CONQUISTA DO PARAÍSO. Condecorado na França com o título de CAVALHEIRO DA ORDEM DAS ARTES E LETRAS, teve sua obra orquestral, MYTHODEA, adotada pela NASA nas missões à Marte. Seu último trabalho reconhecido foi a trilha ALEXANDRE,O GRANDE de Oliver Stone. Ufa! Para quem saiu “corrido” da Grécia, até que o rapaz se deu bem. Ou não ?

Anúncios
comentários
  1. João Carlos disse:

  2. João Carlos disse:

  3. João Carlos disse:

  4. João Carlos disse:

  5. Edu disse:

    Muito bom. Ainda tenho meu LP “The Very Best of Aphrodite’s Child” até hoje. Abração!

  6. Muito bom! Só conhecia Vangelis das trilhas sonoras, vou tentar encontrar a fase de rock progressivo. Também vale a pena comentar no artigo que ele compôs a música da cerimônia de entrega da bandeira olímpica à Grécia, no encerramento de Sidney 2000. Em 1997, também compôs a trilha e fez a direção artística da abertura do mundial de atletismo, um showzaço no estádio olímpico de atenas.

  7. Denise Maia disse:

    Legal demais João. Minhas referências do Vangelis também estavam restritas às trilhas de filmes, inesquecíveis. Mas eu me lembro do Demis Roussos kkkk

  8. João Carlos disse:

  9. Houldine Nascimento disse:

    Assim como boa parte das pessoas, antes, só o conhecia graças à “Carruagens de Fogo”. Depois disso, um amigo tinha me apresentado algumas músicas de Vangelis. No entanto, não procurei saber dos pormenores de sua vida. E o seu belo artigo, João, fez com que eu soubesse. Valeu!

  10. Tomaz disse:

    Curiosidade. Vangelis e Demis Roussos são primos.

  11. João Carlos disse:

    Só Tomaz prá descobrir essa. Valeu a dica!
    Pois é Houldini esse povo faz de um tudo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s