AUTORETRATO, POR LAURA RIDING

Publicado: 03/08/2012 em Poesia

Para um quase amigo

Para trás!

Sou pedra.
…….Você tem de rasgar sua carne para escavar meu peito.

Sou tempestade.
…….Ninguém relaxa comigo.

Sou montanha.
…….Moureje até o topo, e vire um solitário.

Sou gelo.
…….Você tem que congelar para que eu derreta.

Sou mar.
…….Não vou devolver você.

Se isto o assusta,
Para trás! Para trás!

Ainda que, se você for meu amigo,
Não lhe serei nada disso.

tradução: Rodrigo Garcia Lopes

.

PS –

ALÉM

Dor é impossível de se descrever
Dor é a impossibilidade de descrever
Descrever o que não é possível descrever
O que deve ser uma coisa além da descrição
Além da descrição para não ser conhecido
Além do conhecido mas não mistério
Não mistério mas dor não claro mas dor
Mas dor além mas aqui além .

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s