Sábado Som. Por João Carlos de Mendonça.

Publicado: 12/05/2012 em Coluna de João Carlos
Tags:

  

 

J O R G E   B E N    J O R

Chega a ser surpreendente constatar o quando Jorge Ben Jor vem mantendo uma carreira musical perene desde 1963. Seu “site” oficial não disfarça a imodéstia ao trata-lo como única unanimidade na MPB. Realmente,para mim, Jorge Ben Jor é de fato um fenômeno singular, goste-se ou não de sua arte. Tecnicamente, trata-se de um artista extremamente limitado. É um músico de poucos recursos,um melodista simplório e um letrista óbvio.Mas sempre “correndo por fora” conseguiu emplacar sucessos consecutivos como cantor e como compositor, com os mais variados intérpretes e de vários movimentos musicais, desde a Bossa Nova até os dias atuais. Até a “patrulha ideológica” dos anos de chumbo, sequer ousou fustiga-lo, mesmo sendo ele o autor de um hino ufanista como País Tropical. Preferiram caçar o intérprete,o Simonal.

Jorge, nunca escreveu uma canção verdadeiramente antológica.Digna de enciclopédia de MPB. Seus grandes e muitos sucessos são canções agradáveis,geralmente balançadas,malemolentes e não raro,de letras até, ora incompreensíveis ora juvenis ou primárias. No entanto conseguem chegar ao gosto popular tanto quando ganham a simpatia e a admiração de seus pares. Aqui e alhures. Sua segunda música lançada, MAS QUE NADA ,não só foi apenas regravada exaustivamente no exterior,  foi a única (isso mesmo: única) música em “português” a alcançar o 1º lugar nas paradas americanas. É mole ?

No auge da Bossa Nova, Carlos Imperial até tentou empurrar sua rapaziada no movimento.Mas seus protegidos da Turma da Tijuca não foram bem aceitos. Eram o Tim Maia,Roberto Carlos,Erasmo e o Jorge Ben. Este último que,curiosamente curtia LUIZ GONZAGA e ATAULFO ALVES, fazia um samba tão longe das raízes tradicionais quanto da sofisticação harmônica da Bossa (misto de maracatu ?), que caiu no gosto popular logo na estréia com Chove Chuva e em seguida com Mas Que Nada (ela mesma!). Esnobado pela corrente bossanovística (ou bossanovista),mesmo assim transitou bem pela Jovem Guarda claro, e era também figurinha carimbada no FINO DA BOSSA. E naquele tempo,quem aparecia num era imediatamente descartado do outro.Enquanto OS INCRÍVEIS (O Vendedor de Bananas) e ERASMO (Menina Gata Augusta) estouravam com suas criações, ELIS REGINA fazia o mesmo com Zazueira e Se Segura Malandro e Jair Rodrigues com Papa Gira. Quando o TROPICALISMO chegou, o primeiro convidado foi Ben Jor. E foi entrando com tudo. Que Pena,Tuareg (Gal Costa), A Minha Menina (Os Mutantes), Mano Caetano (Maria Bethânia), além dos duetos em disco com GIL. Na verdade,até hoje em dia,essa turma,especialmente Caetano e Gal, gravam e regravam Ben Jor, sempre. Quando a dupla TOQUINHO & VINÍCIUS estava no auge, Jorge lançou uma canção cheia de candura e de harmonias um pouco fora de seus padrões. QUE MARAVILHA!, como eu viria à constatar mais tarde, tinha um toque de TOQUINHO, seu parceiro naquela música.

Mais para o fim da era dos Festivais, emplacou, na voz de MARIA ALCINA, a sacolejante e quase ingênua FIO MARAVILHA , cujo tão entoato refrão,resumia-se a “Fio Maravilha/nós gostamos de você”. No final dos anos 70,ao lado de um entusiasmado Caetano Veloso, voltou às paradas com IVY BRUSSEL. Pouco antes, surgira um movimento musical de tiro curto,o BLACK RIO. A referência ? Claro, Ben Jor. Se nos anos 80, não fez nada memorável, continuou sendo reverenciado por vários ícones do BRock,como Lulu Santos, Kid Abelha e principalmente, Fernanda Abreu. O MANGUE BEAT pernambucano,já nos 90, o tomou como parâmetro e influência indisfarçável. Evocando seu primeiro LP, SAMBA ESQUEMA NOVO, a banda recifense MUNDO LIVRE S/A não vacilou para nomear seu também album de estréia como Samba Esquema Noise. E mesmo nos dias atuais,seu estilo é copiado ou quase plagiado por cantores e grupos. SEU JORGE e a BANDA EDDIE que o digam!

Creio que seria bem mais fácil indicar “quem não gravou” Jorge Ben Jor do que “quem gravou” (uma verdadeira lista telefônica). Embora seu último sucesso nos remeta aos anos 90, uma música com 2 acordes e letra indecifrável chamada W/BRASIL (que se sustenta no arranjo irresistível do genial SERGINHO TROMBONE), Jorge Ben Jor continua lotando teatros,arenas e estádios daqui e do mundo.Internacionalmente, é um dos artistas brasileiros mais reconhecido e admirado.

À bem da verdade, desde os primórdios, BEN JOR fazia um samba dançante, diferente de tudo o que se fazia, e calçado numa base rítmica contagiante, conquistou o público com sua originalidade embora suas letras não fossem (nem são) grandes coisas. Desde então,vem burilando e modernizando seu “balanço”, sempre cercado por músicos no mínimo, brilhantes. Quem copiou ou aderiu ao estilo,até tentou disfarçar chamando-o de “sambalanço” ou “samba-rock” e, teve até um clone de pouco fôlego chamado BEBETO, alguém lembra ? E então ? JORGE BEN JOR é ou não é um fenômeno ?

– Segundo o próprio, longe de coisas tipo numerologia, a mudança de JORGE BEN para JORGE BEN JOR deu-se por questões relativas aos Direitos Autorais internacionais. Sua grana estava sendo depositada,por engano,na conta de George Benson.

– Um famoso e muito competente (além de popular) crítico musical dos anos 60/70,já falecido, Zé Fernandes, chamava-o simplesmente de enganador! Caetano Veloso chama-o de gênio!

– CHICO BUARQUE, mais polidamente, afirmou que havia artistas que ele admirava e que o influenciavam muito. Por sua vez, havia aqueles que ele admirava mas não o estimulavam musicalmente. Instado, confessou: no primeiro caso,Caetano. No segundo, Jorge Ben Jor!

Anúncios
comentários
  1. andregustavo disse:

    Marrapaz!!Botasse pra torar,John!!É muito bom o tal do Jorge Ben,pense!!!Sou fãnzaço,devoto mesmo.Salve Jorge!!!!E o cara dorme na geladeira,fica velho não,hehehehehe.Pois bem,o homi chegou para animado a festa no sábo de manhã,acordado por Felipe às 5.30h me pedindo para comprar um BeyBlade(te prepara Arsenio,KKK).Fui dormir às 02.ooh da matina depois de sorver com sofreguidão um Malbeczinho até marromeno.Tem dinheiro que pague não prazer de ter o filho te acordando.Mas bora ligar a radiola,esses mimninus:

  2. andregustavo disse:

    LP fundamental da MPB Tabua das Esmeraldas é disco de cabeceira meu e tenho certeza que de JC também.Essa música é um clássico dos clássicos,assim como o video:

  3. andregustavo disse:

    Oia só:

  4. andregustavo disse:

    #maravilha.Literalmente falando:

  5. andregustavo disse:

    Interessante:uma das maiores canções de Jorge Ben ficou,na minha opnião melhor com Caetano:

  6. andregustavo disse:

    Só por Mas que Nada JB poderia se aposentar,pois quem faz uma canção dessas,iNVENTANDO um rítimo,só pode ser gênio:

  7. andregustavo disse:

    Sérgio mendes deve muito a Jorge Ben,visse?:

  8. andregustavo disse:

    Já tinham ouvido essa versão,confrades?:

  9. andregustavo disse:

    Esse video é uma cartase.Totalmente minha infância,lembro demais dessa canção.E gosto dela até hoje

  10. andregustavo disse:

    Duplinha fraca:

  11. andregustavo disse:

    #reliquia:
    Ben e o síndico:

  12. andregustavo disse:

  13. andregustavo disse:

    Essa já saiu por aqui.Sérgio Dias e cia(Mutantes sem Rita Lee é Beatles sem George)em San Francisco,CA,numa loja de discos,mandando brasa no clássico de JB,que fez parte do primeiro LP da minha banda brasileira favorita:

  14. andregustavo disse:

    Eita,entrou em Mutantes lascou!!Vou mimbora tomar café pra não perder o rumo da prosa:

  15. João Carlos disse:

    Não ousaria entrar na seara do Mestre VJ André. Por isso vou aguardar W/Brasil de camarote KKK. Uma verdadeira aula que inclusive nos relembra a breguice dos clips da Globo (Ive Brussel). E Os Mutantes ? Da-lhe Serginho Cabeludo Danado!
    Tá faltando ARSÊNIO. E Ele tem de vir com o José Vicente no vocal!.Magna,Edgar,Houldini já chegam! Basta ter paciência.

  16. Domingos Sávio disse:

    Chamando o síndico o eterno e imortal TIM MAIA. Espia aí João. E André. Que carona da bexiga lixa, pense numa fuleiragem minha. E arroi:

  17. Domingos Sávio disse:

    De novo:

  18. Domingos Sávio disse:

    Eu sou chato, feio , pobre e moro longe kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk:

  19. Magna disse:

    Eita, mas este SS tá cheio de ritmo e malemolência. De fato, João, as musicas de Ben Jor não trazem um primor de letra; costumo até a dá-lo como referência de repetição, onde os refrões, algumas vezes, constroem quase totalmente a música. No entanto, sem dúvida, impossível passar batido diante do ritmo contagiante e, como sabemos, inovador. Esta, na minha ignorância, é a fórmula de Ben Jor, daí a chamada ‘genialidade’ do artista.
    Os vídeos estão uma maravilha, André.

    Deixo uma – dentre tantas – explicação para a Ivy Brussel:
    “Agradecimento. Foi esse o motivo da composição da música Ive Brussel, composta por Jorge Benjor, em 1988, quando ainda assinava como Jorge Ben. Durante uma série de shows realizados na Europa, Benjor se apresentou na cidade de Bruxelas (Bélgica). A belga Ive Brussel resolveru hospedá-lo, lhe proporcionando um ótimo tratamento. Quando estava escolhendo músicas para gravaro disco “Salve Simpatia!”, Benjor resolveu retribuir a gentileza, compondo “Ive Brussel”, que ele gravou com Caetano Veloso. Até a insegurança que acompanha qualquer pessoa em terra estranha, ele colocou na letra. “Pois está fazendo um ano e meio amor/que eu estive por aqui/desconfiado sem jeito/e quase calado/quando fui bem recebido por você”.

    Abraços!
    Magna

  20. João Carlos disse:

    Beleza Magna! Sabia que ela existia mas não sabia de onde era e as circunstâncias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s