Sábado Som. Por João Carlos de Mendonça.

Publicado: 03/03/2012 em Poesia

 CANHOTO DA PARAÍBA

Na cidade de Princesa Isabel-PB, onde nasceu (19/3/1926), tal qual o pai e os irmãos, o garoto queria tocar violão. Mas, diferente dos demais membros da família,FRANCISCO SOARES DE ARAÚJO era canhoto e para piorar, só tinham um violão. O pai, em favor da maioria, não o autorizou a inverter as cordas do instrumento mas tentou ensinar-lhe a praticar como destro, no entanto,desistiu: “Ih meu filho, tem jeito não.Tem que botá de cabeça prá baixo ou ficá na frente do espelho” (SIC). Bom, o pai desistiu mas ele não. Teve de aprender sozinho.Aprendeu.E como! Assim,bastava virar o instrumento e o menino Chico Soares (como era conhecido) exibia uma destreza rara. Talvez por esta dificuldade,desenvolveu uma técnica peculiar e quase inimitável.

Mudou-se pro Recife no início de 1958 e apaixonado pelo chorinho ,começou à frequentar as rodas musicais e à compor seus “choros” peculiares, que chamavam a atenção não apenas pela beleza melódica e as harmonias intrigantes mas principalmente por “um certo sotaque nordestino”, o que impressionaria JACOB DO BANDOLIN um ano depois.Em 1959,já conhecido em Recife como CANHOTO, fez parte de uma comitiva de músicos (ou“chorões“) que se aventurou numa viagem de JEEP ao Rio de Janeiro,mais precisamente à Jaquarepaguá,onde morava Jacob.Reza a lenda que ao ouvi-lo tocar, o maestro RADMÉS GNATTALI ,de tão entusiasmado, gritou um palavrão e deu um salto que terminou com o conteúdo de seu copo atingindo o teto. Mancha de cerveja que Jacob do Bandolim deixou ali para jamais esquecer daquele episódio. Se é verdadeira ou não essa história, o fato é que entre os ouvintes estava um garoto,cujo pai particapava da seresta,que naquele instante resolveu estudar música.O molecote é hoje conhecido como PAULINHO DA VIOLA.

De volta ao Recife,CANHOTO continuou “se virando” como violonista e seu primeiro disco foi lançado apenas em 1968 pela ROZENBLIT. Para essa empreitada,Canhoto com sua sensibilidade, ousou (ao menos para a época) convocar o jovem violonista de formação clássica, HENRIQUE ANNES,então com 22 anos e, para cuidar da produção,o já veterano maestro NÉLSON FERREIRA. Para aqueles que fizeram “biquinho” com as duas convocações,um por ser muito jovem e o outro por ser “especialista” em frevos,CANHOTO apenas alegou que “mais que jovem ou carnavalesco,eles eram músicos geniais”.

 Os próximos albuns só viriam quase 9 anos depois. Mas esbanjando elegância.Ambos produzidos por PAULINHO DA VIOLA.O primeiro chamou-se COM MAIS DE MIL (Copacabana) e o seguinte, O VIOLÃO BRASILEIRO TOCADO PELO AVESSO.Os lançamentos foram seguidos por uma muito bem sucedida excursão por todo o Brasil,ao lado do Paulinho,no PROJETO PIXINGUINHA.

Em 1998, ainda sob a produção de Paulinho da Viola,saiu seu último disco solo,PISANDO EM BRASA, do qual participou outra fera do instrumento, RAFAEL RABELLO. Ainda nesse ano,gravou para o sempre antológico Programa da TV Cultura, ENSAIO. Talvez o único registro visual restante de seu talento. Pois logo em seguida sofreu um AVC que paralisou um lado do seu corpo,impedindo-o de tocar seu querido violão.

“Eu não queria participar daquelas rodas de choro. Mas quando vi o CANHOTO tocar fiquei tão entusiasmado que me toquei. Era tão sublime,tão tecnicamente perfeito.Acho que ele me influenciou mais do que o meu pai e o Jacob” (PAULINHO DA VIOLA).

JACOB DO BANDOLIM dizia que para reproduzir uma música de CANHOTO o sujeito teria de virar canhoto.Repetia que “o homem tem o diabo no corpo. Ele toca sorrindo,tranquilo.Dorme e acorda com o violão e acha que não está fazendo nada demais.Durante os 15 dias que ficou em minha casa,o mundo todo queria conhece-lo,tocar como ele. Virou vedete”.

Em 2008,dez anos após ficar impedido de tocar,CANHOTO faleceu em Paulista-PE, aos 82 anos.

Anúncios
comentários
  1. Canhoto em 1994 na Tv Cultura: Enquanto André não volta do Canavial depois de comer um cupim prá lá de bão eu vou tomando meu caldinho (daquipapouco no Jabá) que também né rim não, e como ele disse no feissibuki rim é bom, com farofa e pimenta e cerveja cú de foca gelada:

  2. EDGAR MATTOS disse:

    Quando presidente do Conselho Estadual de Educação, cuja sede, defronte à Academia Pernambucana de Letras, dispõe de um lindo pátio às margens do Capibaribe, ali promovi uma apresentação de CANHOTO. Foi uma coisa bem intimista, para cerca de 20 casais o que nos permitiu não só nos deleitarmos com a arte inigualável do grande violonista, como com ele conversarmos informalmente sobre as dificuldades da sua vida artística.. Ele era uma pessoa de enorme simplicidade. Não sabia desse detalhe da participação de meu amigo Henrique Annes nesse primeiro disco de Canhoto. Henrique, que por várias vezes se apresentou aqui em casa é pessoa pela qual nutro especial admiração e estima. Sempre que pude o apoiei na sua carreira. Vejo com muita satisfação o Sábado Som se ocupar de um artista regional do valor de Canhoto. Estou ansioso pelas ilustrações musicais do nosso André parte imprescindível das aulas-concerto do Maestro João CArlos..

  3. andre gustavo disse:

    Conheço pouco da obra de CAnhoto,meu irmão é fãzaço.O SS é pra isso mesmo,aprender e se deleitar.Vê que duplinha fraca:

  4. andre gustavo disse:

    Abre a Bohemia aí,Domingão,que eu vou buscar os caldinho e a pimenta:

  5. andre gustavo disse:

    Cupim,bode,figo,pode ser a tiragosto que for.Tomando uma ceva mofada e ouvindo um negócio desse o caba passa o dia!:

  6. andre gustavo disse:

    Sai repetido,foi mal.:

  7. andre gustavo disse:

    Muito bom esse video:

  8. Arsenio Meira Junior disse:

    Grande Johnny, eita que bom gosto tem nome e endereço: João Carlos e Candeias.
    Grande Canhoto da Paraíba. Não sou um conhecedor profundo do mestre de Princesa Isabel. Mas, como disse André, o SS tá aí pra isso: mostrar o que é bacana.

    Vou tomar um caldinho; um não, uns cinco, kkkkk.
    Abraços
    Ps – Esse vídeo postado por André é arretado. Paulinho da Viola e Canhoto. A Música Popular Brasileira, um dia, vai definitivamente salvar o Brasil.

  9. João Carlos disse:

    Tanto quanto eu (ou mais) e,tinha certeza de que vocês se comoveriam a singela biografia do CANHOTO. Conhecia-o de nome e TV (poucas vezes) e o vi tocar no Teatro do Parque.Foi só uma vez,mas suficiente para perceber estar ouvindo um gênio. Tão genial que o violão foi que adaptou-se prá ele!
    O clube veio completo. Ja já chega Magna.

  10. Magna disse:

    Há uns anos, ainda estudante e estagiando em uma instituição aqui do Recife, conheci uma irmã de Canhoto. Enfermeira auxiliar, mostrou um pouco da simplicidade que o irmão exalava.
    Assim, vamos seguindo com mais uma aula show do nosso João, ilustrada, como sempre, pela destreza do André. Maravilha!
    E ainda me atrevo a deixar mais um pouquinho do programa Ensaio de Canhoto.
    Abraços, amigos!
    Boa semana a todos!
    Magna

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s