Arquivo de 18/02/2012

 T R I B U T O    ?

Tenho um tremendo “pé atrás” com os chamados CDs do tipo “TRIBUTO A…”, porque raramente encontrei algum cujo homenageado não tenha sido vitimado pela boçalidade histriônica dos intérpretes.Sim, há versões empolgantes mas, geralmente não passam de 10% do conteúdo total.
Um bom coração resolve homenagear algum cantor/banda/compositor e para isso convoca artistas de estilos variados. Alguns da novíssima geração e outros já calejados, obviamente por motivos mercadológicos. Então o que acontece ou ao menos fica subentendido é que, boa parte dos convidados, ou não conhece ou não é muito chegado ao reverenciado e aproveita a ocasião mais para se exibir, em detrimento da obra. Não é raro canções serem desconstruidas, perderem sua essência e identidade em favor de modernísmos MTV. Isso quando o cara não pinta de voz e violão “barzinhos” para destilar sua versão “intimista” de APESAR DE VOCÊ ou LIKE A ROLLING STONE.

Bem diferente daquele artista que genuinamente admira o seu colega ou determinada canção e resolve grava-la, colocando-a em seu repertório.É claro que ele vai botar sua marca, seu estilo, mas a gente sente que ali há reverência e respeito,além da consciência de que nem toda música pode ser remexida demais.

Dia desses, foi lançado um filme sobre Bob Dylan e para a trilha sonora foram convocados todos e todas do pedaço.Mas o que prometia ser um discaço resultou numa obra decepcionante.Um desfile de estrelismos e “mudernidades” que devem ter desagradado o compositor. Há versões maravilhosas das canções de Dylan espalhadas em discos de seus colegas que,juntas, formariam um belíssimo conjunto.Para citar algumas, Simply Red (Positively 4º Street), George Harrison (If Not For You), Brian Ferry (Knocking on a heaven’s door) e Norah Jones (I’ll be your baby tonight) e tantas outras que dariam um album duplo.

Se você não aguenta mais ouvir a milionésima versão bossa-nova de Sonífera Ilha na voz da próxima sensação da MPB, pode comprar Bethânia revitalizando a obra de Roberto/Erasmo ou o maravilhoso album de SANTANA, onde ele se debruça com toda salerosidad  (?) sobre seus temas favoritos de outros colegas de geração.Realmente, parece que, quando o projeto reune vários intérpretes, a coisa não decola.Vira um insosso de plumas e paetês.

Não há mas muito o que dizer.Fuja dos DISCOS TRIBUTOS. O resto certamente o VJ André vai arrasar.Pode apostar.

Anúncios