O futebol e o seu lugar na minha vida…

Publicado: 19/09/2010 em Poesia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Não faz muito tempo matava um leão e fugia de dois.

Quando o amor era suficiente.

Não faz muito tempo rir e chorar pareciam a mesma coisa.

Quando o amor era suficiente.

Não faz muito tempo a pressão arterial enlouquecia e corria para o atendimento médico, deixando mais confusas as minhas artérias. Quando o amor era suficiente.

Perder a voz, gastar o dinheiro das suadas férias. Brigar, lutar, discutir, morrer se preciso fosse. Esquecer as coisas importantes. Quando o amor era suficiente.

Quantas vezes o milagre da vida estava ali na minha frente e eu cego de fundamentalismo, doente de paixão só enxergava duas cores.

Quando o amor era suficiente.

Mas a gente cansa, o juízo chega, as coisas importantes vão novamente ocupando o lugar no coração e agora o amor é suficiente. Para essas coisas. Importantes.

O fundamentalismo político , religioso, esportivo é doença.

Mata.

Afasta amigos.

Destrói.

Nada acrescenta em nossas vidas. Nem um covado à nossa estatura moral, como nos ensina Jesus.

Qualquer clube de futebol termina ocupando um lugar em nossas vidas como uma hera, uma intrusa, uma árvore que suga a verdadeira árvore. E nos leva, nos rouba, nos engana, nos trai. Não merece tanto.

O jogo acaba, a luz se vai, fica o silêncio, uma alegria apenas. Uma passagem apenas. Boa ou ruim, não importa . São muito pequenas.

Só de uns tempos prá cá fui acordando desse pesadelo. Desintoxicando.

Ainda tenho pesadelos. Ainda tenho recaídas. A droga é muito forte.

Mas o futebol devagar vai saindo da minha vida e ocupando o seu lugar de verdade. Quem disse a frase não sei. Perdoem-me a ignorância. Com certeza os amigos do Fusca saberão:

“O futebol é a coisa mais importante entre as coisas menos importantes.”

Ou algo parecido. Se não mexi no sentido da frase. Algo assim.

Nada de mágoas, rancores, desilusões. Nada de rasgar camisas, bandeiras, carteira de sócio. Nada de xingamentos.

A verdadeira desilusão é a grande parte desse milagre inteiro.

Os olhos estão abertos.

A vida se derrama inteira.

A poesia se faz companheira, fiel, por completo.

A saúde recomposta. Como posso pagar?

A família , os amigos, o trabalho, são o paraíso na terra.

E mais não digo.

 

PS – O Poeta Marcelino Freire encerrou o seu blogue Eraodito no dia 13/09. Li ontem. Sentimento de perda. Para ele , de uma dignidade imensa, escreveu um texto grandioso. Uma bela definição de saudade, de compartilhar as coisas boas da vida. O seu blogue, desde 2002, imaginem. Em 2002 eu nem sonhava ainda e tanta coisa boa já estava disponível na rede.

Amém geral para toda a família do Fusca.

Um dia a gente perde.

No outro a gente apanha.

No outro dão na gente.

E seguimos…

comentários
  1. João Carlos disse:

    Pois é meu “broda”. Prá ver o CNC valia tudo.Dinheirinho contado,ônibus lotado e desconforto no estádio além de preço de champanhe francesa por uma latinha de cerveja.
    Ali por 84/85,depois de até tomar banho de mijo no Arruda fui gradativamente tomando consciência do mal que estava se instalando.O CNC até merece o meu amor mas nunca a minha saúde (por consequência a saúde da minha família). Não foi uma decisão radical.Foi um processo.Pois bem,até lembro de um hiato quando em 95 levei meu filho para conhecer o clube.Sala de troféus e vencemos o Santa.UFA!!!! Agora ele vai só.Virou sócio. De repente percebi que não vou mais aos jogos (não conheço a reforma dos Aflitos),não vejo pela TV e rádio nem pensar.
    O Náutico prá mim só no outro dia.Quando sei o resultado e procuro saber como foi.Mesmo assim a gente sofre,fica meio cabisbaixo mas nem se compara com a dor dos que vão sempre atrás do trio elétrico.Que são sócios.Aliás o CNC é o único clube no mundo que só tem uma categoria de sócio: o Sócio TOMMY (não vê,não ouve,não fala e não vota) salvo a meia dúzia de sempre.Sempre unidos no fracasso e na cobiça.
    Nunca caí na conversa do CT. Porque CT prá mim mais que um Centro de Treinamento é uma “política”. Prá ocupar a vaga de um “ouro da casa” tem de ser muito melhor. Técnicos tem de chegar sabendo que isso é Lei.Pior que vê esses bagulhos vestindo a camisa alvirrubra é ver Nilson escanteado,Bispo sendo preterido por qualquer wescley da vida.Mendigarmos no Cruzeiro o empréstimo do nosso Lessa.
    O CNC não salga mais meu churrasco nem esquenta minha Skol.
    Fodam-se (perdão “ladies and gentlemen”) os PTralhas,os PSDBestas e os NAUTIcanalhas.
    PS: Que ironia.Domingo passado meu filho me deu uma linda camisa branca retrô do CNC. Acho que vou vesti-la ali pelas 4 da matina e desfilar sozinho pela casa.Longe dos olhos e das piadas.

  2. Taquipariu João. Andregustavonianamente falando cara. Que poema. Se me permitires vai para o post. Não traduziria melhor essa perfeita tradução do “ser alvirrubro”. O corno que já sabe que vai ser corneado um ano antes da gaia. Tô fora. Estamos.

  3. Domingos, vou da um tempo no futebol, principalmente nos jogos do nautico, esse ano pode ate subir ser campeão, mais não assisto mais, ontem foi a gota dágua. Agora, tem no yuo tube um video constragedor, ou seja um comicio em Itabaina- Sergipe, no palanque joão alves, serra e outros, quando no discurso o cara diz: é uma vergonha, o albano franco que é tucano vota na dilma, ele repete e na gravação percebe-se serra cutando joão alves, que cutuca o politico que está falando. uma vergonha tucana.

  4. Osvaldo meu irmão. Sempre certo. Estou contigo. O Náutico precisa de um tempo. É isso que no fim das contas estou querendo dizer neste post. Com relação ao comício eu vi no YouTube. A cara de Zé Alagão constrangido é bom de mais de ver.

  5. andre gustavo disse:

    Meu caso foi mais radical.Aconteceu em 26/11/2005.Não pisei mais no Eládio desde então.Nunca fui fanático,sempre tratei o futebol como diversão,ia com razoável frequencia ao estádio.Ainda acompanho pelo PFC,mas a empolgação,que vem diminuindo com o tempo,hoje é quase zero.
    Pernambuco está fadado a ser Goiás,terra de um time só.Sabio foram os dirigentes do Bahia,que votaram a favor do Vitória no C13.Pensaram grande,que um não vive sem o outro.Não imagino nossos rivais fazendo o mesmo.Do jeito que vai o Sport será decacampeão,e sem a menor graça.Bater em cachorro morto é fácil.Por isso,prefiro dedicar minhas (ainda)jovens tardes de domingo à família:

  6. Sábias palavras amigo André Gustavo. Não sei se o Náutico inspirou Gabriel Garcia Marquez ou inspirou-se nele. A verdade é que tudo não passa de “Um Crônica de uma Morte Anunciada”.

  7. osvaldo soares neto disse:

    Domingos e todos do blog que gostam de boa musica historias de festivais da decada de 60, entrar nesse site paixaoeromance.com-60decada.
    quem conhece maravilha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s