Arquivo de setembro, 2010

Bob Lagosta está de volta…

Publicado: 30/09/2010 em Poesia

Uma homenagem ao nosso novelho “Coach” , o famoso Roberto Fernandes.

Voltou para nos tirar daquele lugar, que Aldair José cantava nos meus tempos gafieiristicos na saudosa maloca yellowhousiana. Lembra John? Arsênio, garoto da zona sul , brincava em outras arenas. Mas acho que ainda arriscou uns bons quadris ao som de boas orquestras. Super Oara!!! Uau. Caramba. É no gogó gugu.

Essa lagosta solitária aí no aquário, já devidamente degustada toda vida, representa a solidão do treinador. Tem culpa ele André Gustavo? Cozinharam o Gallo em fogo brando com um multa de trocentos mil e lá vai fumaça e o timbuzinho se lascando de novo no TRT. Eita inteligência da jumência “Beligerante”.

Agora Bob volta. Bob que está esperando desocuparem a vaga do estacionamento que é dele. Jogador que botar o carro lá tá lascado. Vai lá Osvaldo colocar nosso fusca!!!

Bob que talvez não chegue muito longe, porque três vezes o raio cair no mesmo lugar é tronxura que nem alvirrubro consegue. 

Na fita em VHS que guardo aqui em casa com o retorno de Bob, o filme foi ruim demais. Bob saiu corrido e se pensava que nunca mais ia nem passar pela Rosa e Silva, ia preferir andar pela Avenida Norte.

Mas Bob foi longe, Brasiliense se não me engano. E depois? Andou por onde nosso lagostino traquino? Uns clubecos do interior, bem maiores que o nosso que americanizou-se de vez. Virou camelódromo.

Estão até falando que o Traque de Massa vai voltar. Já pensou? Com ação trabalhista e tudo e Romerito como procurador? Creio não. O prazo acaba daqui a pouco e a gente costuma levar três meses para regularizar um jogador. As vezes dois.

Eu até pensei noite passada, depois do filé que foi o trabalho, em algumas mudanças do nome do nosso amado clube, uma vez que ele foi clonado, pirateado e não é mais o nosso clube. É outra coisa, é outro time, só ficaram o escudo porque não deu tempo de roubar os remos e as seis estrelinhas. Que para o ano vão cair de uma vez. Feito peido de véia.

Vejam só:

Clube Capibaribe de Futebol e Factorings.

Clube de Tapetes  Fields, Kruses e Aquino Rego. 

Clube de Regatas Boi Tungão.

Trapaças e Whiskys Futebol Clube.

Trinta Por Cento F.C.

OPor Fora é Meu Futebol Clube.

Clips, Birilos, Papelões e Lanternas Futebol Clube.

Sócios prá fora Futebol Clube.

Grileiros de Rosa e Silva Futebol Clube.

Guerreiros da Luz Vermelha Futebol Clube.

PS – Mande sua colaboração. Os Fields agradecem. O resto da matilha também. Porque em terra de lobos, timbú toma é cana mesmo.

Anúncios

Pink Floyd. “Time”

Publicado: 26/09/2010 em Poesia

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.

Fernando Pessoa

Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo.

Friedrich Nietzsche

As pessoas comuns pensam apenas como passar o tempo. Uma pessoa inteligente tenta usar o tempo.

Arthur Schopenhauer

O pensamento é escravo da vida, e a vida é o bobo do tempo.

William Shakespeare

E agora é prá arrombar a requenguela. Os caras. Arrombando a física quântica e a mecânica celeste. O tempo e a eternidade. Pó lá vamos nós:

Tive oportunidade de vê-lo ao vivo acompanhando Geraldo Maia no excelente restaurante/bar/teatro/tudo de bom “Casa de seu Jorge”. O cara toca muito.

Não perguntei o clube. Assim é demais. Sim o cara tem 18 anos. Reportagem de hoje no JC.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por favor, tirem as crianças da sala , suas esposas, filhos, aviso antes!!!

Estou escrevendo com o fígado. Então…

1) O atual presidente, não teria liberado 10 diretores para irem correndo votar na próxima reunião do Conselho Deliberativo para salvar a pele do último presidente, aquele que nos rebaixou a série B e deixou um rombo monstruoso no ano em que o clube mais arrecadou dinheiro na sua pobre e destroçada vida.

2) Maquiavel não estaria sentado, assistindo novamente, como num curso de reciclagem, de revisão histórica , as aulas de André Campos e Gustavo Krause de como engessar um clube e tornar a engessar de novo, num moto contínuo de sadismo. É luxo !!!!!!

3) A oposição não teria sofrido ameças que culminassem na renúncia de um candidato eleito. E não estou falando de Jânio Quadros não. Nem de forças ocultas.

4) As contas não aprovadas pelo próprio Conselho Deliberativo, já estariam em mãos do Ministério Público, com farta documentação para que o próprio Ministério enviasse peritos contábeis para efetuarem Auditoria Independente. E aí… Cotel neles.

5) Hélio Monteiro não seria chamado de ilustre alvirrubro porque emprestou dinheiro para pagar as folhas em atraso, simplesmente porque o exmo sr. Berillo não sabe administrar o clube. Não sabe como trazer os sócios de volta. Não consegue achar um patrocinador decente. Embora tente, tentar ele tenta. Mas lhe falta competência.

6) A reforma do Estatuto do extraordinário Maurício Pina já teria sido aprovada.

São apenas 6 razões para lembrar o Hexa, Eládio, Wilson Campos, Zé Porfírio. Só para lembrar.

São apenas 6 razões que ainda me fazem e me trazem uma indignação monstruosa.

Hecatombe igual só se o José Zerra ganhar as eleições, não tanto por mim, que já sofri tanto com FHC que a gente acostuma de novo. Queria não, acho que não vai acontecer.. Mas voltemos ao timba:

Mas se essa patota de bandidos que tungou o Náutico nos últimos 6 anos, inclusive a atual com máscara de honestos, apenas as máscaras, sair impune, eu definitivamente deixo de torcer pelo Clube Náutico Capibaribe.

Não por rebeldia, ou por escrever pura bile, ou o fígado estar doendo, afinal fígado não dói. Dói é a alma. É porque o Náutico vai acabar. O santa crui não acaba porque foi estatizado. O Náutico foi tucanizalhado ou petralhado ou demonizado. Quem vai enfrentar os grileiros armados até os dentes? Morei no Pará. Lá, se mata por um pote de açaí ou uma tubaína. Quem vai pelear com bandidos? Quem é cidadão e tem filhos prá criar contra quem não tem nada a perder? Nada. Absolutamente nada. Nem a alma que já venderam ao DEMO desde o BIG BANG?

 

PS – Façam uma circuncisão na corrupção.

Allann Xavier

As boas notícias voltando…

Publicado: 25/09/2010 em Poesia

Das três, duas voltaram em forma de brisa.

O cumpadre já na terrinha, curado e sorrindo. Cirurgia bem sucedida. Vai rolar um belo post sobre o cirurgião que o operou. Um exemplo de vida e dedicação e espiritualidade. Vale a pena escrever e eu vou enfrentar esta empreitada.

A filhinha do meu amigo nasceu. Momentos de muita tensão , agora relaxados. Os pais respiram, pois a jovem guerreira vem surpreendo os médicos. Milagres do dia a dia. “Quem é ateu e viu milagres como eu…” Caetano de novo. Fui falar mal do cara…

O terceiro caso. Esperanças. Por enquanto. Orações. Correntes de luz.

Agora esse caso fantástico. Que história bela meus amigos:

Da BBC

Após lutar contra a leucemia ao longo de dois dos seus três anos de vida, Jordan Harden não parecia mais responder ao tratamento. Os médicos então jogaram a toalha e lhe deram algumas semanas de vida.

Moradores de Wishaw, no sul da Escócia, os pais do garoto, Gary e Claire, resolveram levá-lo à Disney em Paris, para que Jordan aproveitasse os seus últimos dias. Pouco antes de partirem, porém, receberam uma ligação do hospital e ouviram uma notícia que os deixou entre eufóricos e perplexos: o último exame do garoto revelava que a doença havia desaparecido completamente.

Hoje, 18 meses depois, Jordan frequenta a escola e leva uma vida normal, como a de qualquer outro garoto saudável de 5 anos de idade.

Portal G1. Você lê toda a matéria.

PS -Para mim é a certeza de que Deus cura. Deus não cura. Deus pode. Deus não pode. Só Ele é que sabe. Uns vão, uns ficam. Nessa seleção, não há lógica que nos caiba em nossas humildes calotas cranianas. Pelo menos na minha. Microcéfalo que sou.

Em homenagem ao graannnnnde presidente da nossa fede-ração pe de futebol, como é mesmo o nome do dita-dor?
Sempre que vai além das notas musicais, Caetano se mostra um verdadeiro panaca. Sem polidez ( Andante Mosso por Maurício Dias).

Primeira parte ( licença seu Vinicius ) licença:

Hoje é sábado, amanhã é domingo
A vida vem em ondas, como o mar
Os bondes andam em cima dos trilhos
E Nosso Senhor Jesus Cristo morreu na cruz para nos salvar.

Hoje é sábado, amanhã é domingo
Não há nada como o tempo para passar
Foi muita bondade de Nosso Senhor Jesus Cristo
Mas por via das dúvidas livrai-nos meu Deus de todo mal.

Hoje é sábado, amanhã é domingo
Amanhã não gosta de ver ninguém bem
Hoje é que é o dia do presente
O dia é sábado.

Impossível fugir a essa dura realidade
Neste momento todos os bares estão repletos de homens vazios
Todos os namorados estão de mãos entrelaçadas
Todos os maridos estão funcionando regularmente
Todas as mulheres estão atentas
Porque hoje é sábado.

Nem Vininha, nem Drummond. Não tenho duas mãos nem o sentimento do mundo. Apenas acabo de receber a revista Veja. E a melhor resposta é essa aí embaixo. Logo eu que jurei que não ia falar mais em política até a vitória no dia 03 de outubro. Já já eu falo do Náutico de novo. Tem cura?

E Caetano Veloso? ” Serra é um idiota que apareceu com Lula, querendo dizer que está do lado, que é igual a Lula. É burro”.

Atacou a Dilma, atacou o Serra, baba Marina. Agora é que são elas…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um poeta vem a conhecer certas coisas que são reveladas somente em um relacionamento poético com a realidade.

 

No que se refere à esperteza mundana, o poeta é um tolo. Ele nunca se desenvolverá no mundo da riqueza e do poder. Mas, em sua pobreza, ele conhece um tipo diferente de riqueza na vida que ninguém mais conhece.

 

O amor é possível a um poeta, Deus é possível a um poeta. Somente aquele que é inocente o bastante para desfrutar pequenas coisas da vida pode entender que Deus existe, porque Deus existe nas pequenas coisas da vida: ele existe no alimento que você ingere, na caminhada que você faz pela manhã, no amor que você tem por seu amado ou por sua amada, na amizade que você tem com alguém.

 

…. Torne-se mais e mais poético. É necessário ter coragem para ser poético; você precisa ser corajoso o bastante para ser chamado de tolo pelo mundo, mas somente então poderá ser poético.

 

E para ser poético, não quero dizer que você precisa escrever poesia. Escrever poesia é apenas uma parte pequena e não essencial de ser poético. Uma pessoa pode ser poeta e jamais escrever uma única linha de poesia, e uma outra pode escrever milhares de poemas e ainda não ser um poeta.

…que aquele amigo pode lhe chamar para almoçar e ir esticando a corda do tempo e quando chegar a hora já virou happy-hour, que já virou noitada e você chega em casa de manhã, chegando em casa pela manhã você não vai ficar em bons lençóis, aliás não vai haver lençol nenhum, talvez a casa do cachorro e chegando na casa do cachorro você vai se arrepender da noitada, aliás a cabeça já está doendo, a língua seca, o estômbo dói, a visão turva, vixe…

então, para os bons fuscopoetas,o bom mesmo é ficar em casa senão:

O vídeo não vale uma cocada podre, por isso está aqui neste blogue sujo da murrinha:

 

 

 

 

O FATO RELEVANTE

Por D. Demétrio Valentini, bispo de Jales

no blog da Diocese ( pescado no blog Vi o Mundo de Luiz Carlos Azenha).

23/09/2010 às 15H25

Nestas eleições um fato novo está acontecendo. Fato verdadeiramente relevante. Mas que não precisa ser publicado na grande imprensa. Aliás, o fato relevante consiste exatamente nisto: o povo já não se guia pelos “fatos relevantes” publicados pela mídia. A grande imprensa perdeu o poder de criar a “opinião pública”. A “opinião pública” não coincide mais com a “opinião publicada”.

O povo encontrou outros caminhos para chegar às suas próprias opiniões, e traduzi-las em suas opções eleitorais. Já houve eleições que mudaram de rumo por causa do impacto produzido pela divulgação de “fatos relevantes”, tidos assim porque assim divulgados pela grande imprensa. Agora, a grande imprensa fica falando sozinha, enquanto o povo vai tomando suas decisões. Bem que ela insiste em lançar fatos novos, na evidente tentativa de influenciar os eleitores, e mudar o rumo das eleições. Mas não encontram mais eco. São como foguetes pífios, que explodem sem produzir ruído.

A reiterada publicação de fatos, que ainda continua, já não encontra sua justificativa nas reações suscitadas, que inexistem. Assim, as publicações necessitam se apoiar mutuamente, uma confirmando o que divulga a outra, mostrando-se interdependentes mais que duas irmãs siamesas, tal a impressão que deixam, por exemplo, determinado jornal e determinada revista. Esta autonomia frente à grande imprensa, se traduz também em liberdade diante das recomendações de ordem autoritária.

Elas também já não influenciam. Ao contrário, parecem produzir efeito contrário. Quando mais o bispo insiste, mais o povo vota contra a opinião do bispo. Este também é um “fato relevante”, às avessas. Não pela intervenção da Igreja no processo eleitoral. Mas pela constatação de que o povo dispensa suas recomendações, e faz questão de usar sua liberdade. Este “fato relevante” antecede o próprio resultado eleitoral, e pode se tornar ponto de partida para um processo político muito promissor. O povo brasileiro mostra que já aprendeu a formar sua opinião a partir de “fatos concretos”, que ele experimenta no dia a dia, dos quais ele próprio é sujeito.

Já passou o tempo das falácias divulgadas pela imprensa, onde o povo era reduzido a mero expectador. Em tempos de eleições, como agora, fica mais fácil o povo identificar em determinadas candidaturas a concretização da nova situação que passou a viver nos últimos anos. Mas para consolidar esta mudança, e atingir um patamar de maior responsabilidade política, certamente será necessário trabalhar estes espaços novos de autonomia e de participação, que o povo começou a experimentar.

Temos aí o ponto de partida para engatar bem a proposta de uma urgente reforma política, e também de outras reformas estruturais, indispensáveis para superar os gargalos que impedem a implementação de um processo democrático amplo e eficaz. O fato novo, a boa notícia, não consiste só em saber quem estará na Presidência da República, nos Governos Estaduais, e nos parlamentos nacionais e estaduais. A boa notícia é que o povo se mostra disposto a tomar posição e assumir o seu destino de maneira soberana e responsável.

Pense num aperto…

Publicado: 22/09/2010 em Poesia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Você é um benemérito.

Entendeu?

Nem eu.

Existem pessoas que sozinhas adquirem uma dimensão extraordinária para a vida de um Clube.

Fazem uma falta danada quando se afastam. Ou são afastadas.

A fogueira das vaidades de Tom Wolfe não fala de futebol, mas fala do mundo corporativo e dos grandes financistas de Wall Street e seu mundo encapsulado.

Nós alvirrubros vivemos encapsulados pelo menos nos últimos 06 anos, digamos.

Esqueçamos os últimos 41 anos. Desde o Hexa. Desde o Big Bang.

Sonhamos de tempos em tempos , que esse Cavaleiro da Távola Redonda abra a carteira e afaste os cavaleiros da Ilha ou do Arruda e nos deixe continuar no Luxo de sermos Hexa-campeões.

Eita mundinho pequeno.

Eita pensamento de americano. Do querido e finado América. Ou quase finado.

Nunca pensamos em um titulo nacional.

Já nos vale a Copa do Brasil.

Quiçá uma série B.

Brasileirão série A? Fala sério!!! Foram três anos brigando para não cair e o dinheiro saindo pelos ralos e sinceramente indo não sei para onde.

No meu, nem  no seu bolso é que não caiu. No de alguns sim. Aqueles, os mesmos.

Agora eu lhes pergunto a título de comparação…

Você conhece algum benemérito no Internacional Portoalegrense?

Eu conheço.

106.000 BENEMÉRITOS.

Vou repetir 106.000 BENEMÉRITOS.

Que eram em 2002 , 10.000. O que já fomos um dia e hoje somos menos de 3.000.

Agora olhem o retorno do Internacional. A sua grandeza e os títulos que ele conquistou de lá prá cá. Eu não vou nem olhar prá trás porque aí é passado digamos e uma tremenda covardia.

Agora olhem o retorno do Náutico depois de tirar o Hexa do Sport.

É o mesmo grupo. Os mesmo dirigentes. A mesma dança das cadeiras.

Os beneméritos, todos gente extraordinária, vão e vem ao sabor das vaidades.

Ou até dos mau-tratos que lhe inflingem alguns péssimos dirigentes. Incompetentes. Que o diga a camisa do Náutico expulsando o Rapidão Cometa em troca de uma mercearia qualquer. Infame decisão. Aconteceu.

Eu também me afastaria.

Agora , lhes pergunto.

Apoio termos uma Tribuna de Honra, com bustos, medalhas, trófeus para todos os beneméritos com o seu lugar preservado para a eternidade na História do clube e em conjunto termos 20, 30, 40 mil sócios apoiando essa homenagem e botando dinheiro para dentro do clube que é de todos.

Você não acharia que por esse caminho o clube iria se tornar grande mais cedo ou mais tarde?

Para um clube precisar que uma pessoa querida, amada por todas, quase uma unanimidade, precise entrar num treino para que os jogadore$ $orriam e o clube volte a ganhar $o $eu$ jogo$ é mentalidade de clube de quarta divisão.

Até hoje os judeus esperam o Infante. Jesus , para eles, foi apenas o profeta.

Até hoje os alvirrubros esperam a volta de Eládio. Alguns até conseguem a petulância de mandar cartas para ele.

Descansa em paz Eládio. Dirigentes da sua estirpe e beneméritos da grandiosidade de um Américo Pereira vem a terra a cada cem anos.

Ou viramos um clube respeitável, sem pedir ao patrocinador master o por fora, ou seremos sempre aqueles meninos do sinal, fazendo malabares, brincando com fogo, para se manter ligados no vício do Hexa, na salvação do benemérito, ou beneméritos, que tem mais o que fazer, pois geram empregos e pagam impostos.

Ficam por lá vigiando a invasão, os grileiros de sempre….

Um dia a gente pula a cerca. A gente pula sim. E aí…

Com certeza eu já terei levitado, e você e aquele e o outro e mais 40 mil.

E o que era um bosque, um arvoredo, usando a imagem de um poemitozinho meu, virará um belo Shopping. Pena que não aceitam cartões de sócios (crédito bloqueado). Proibida a entrada.

A Tribuna segue…

PS – Não há apenas o ilustre e extraordinário alvirrubro Américo Pereira. Existem outros. O nominei nesta crônica, com o devido respeito que ele merece, pois foi notícia nos jornais nesta semana a sua entrada no treino do clube e o sorriso imediato dos jogadores. O preparo físico mais rápido que já vi acontecer na minha vida. Que gá$ hein?

Aqui é o meu lugar…

Publicado: 21/09/2010 em Poesia

Qualquer uma dessas cadeiras é do Fusca. Grandes demais, mas são do Fusca.

Cabem os 33 leitores. Porque o tamanho é o do coração.

Aqui eu faço, copio e colo (sem roubar direito autorais de ninguém), mando ver. Todos mandam ver. Enviam eu coloco na hora. Ou quase.

Não censuro, não modero. Para quê? Se todos são pessoas de reputação ilibada? Amantes do belo, da poesia, da música. Cidadãos acima de qualquer suspeita.

Por aqui nunca apareceu um aloprado anônimo. Sorte minha.

Um blogue é isso. Pode ser um blogue sujo (esse talvez seja), pode ser um local de encontro. Uma praça onde a gente puxe os banquinhos e bata um dominó legal.

Uma viola com os amigos : Arsênio, João Carlos, André Gustavo, Osvaldo, Felipe Holder, Clávio, Edgar Mattos, Carlos Maia, Tadeu Rocha, O Negão Leandro, Carlos Henrique (sumido) e mais alguns tão importantes tanto quanto e imensos também.

De vez em quando teimo em sair por aí comentando no blog do Torcedor, no Acerto de Contas, no Tijolaço, no Conversa Afiada, e outros tantos. No blog do Roberto. Onde tudo começou.

E só.

Mas o bom mesmo é a gente comentar no terraço da nossa casa. Olhando para a rua, a brisa soprando e a gente de cabeça erguida.

Fica a lição ao retornar para casa.

Se por acaso virem a ler algum comentário meu na blogosfera podem acreditar: é fake. Nâo sou eu.

Eu estou aqui. Mais vivo do que morto, mais aceso do que nunca, contundente e poético, luz e sombras, amor e ódio.

Porque o caminho do meio é para Buda. A sabedoria de Buda serviu para ele e só.

O meu caminho é esse. Torto. Enviezado.

Mas a última briga de rua que eu participei eu era um moleque imberbe.

Agora que a barba branqueia junto com os cabelos, agora que os filhos vão começando a tomar as rédeas da sua vida, agora que o meu casamento começa a se tornar mais os dois e para os dois e os filhos conquistam o mundo. Eu tenho de ficar em casa.

Sair só se for para ler, ler, reler. Comentar jamais.

Vergonha na cara dr. Adalberto me deu, junto com dona Celeste.

E pela higiene da blogosfera, um brigão feito eu tem mais é de ficar amarrado na sua jaula.

Como diria Leminski: senão  esse filho da puta do Domingos vai fazer chover na nossa festa…

PS – Esta crônica é real. Os fatos são reais. Nada há de ficção aqui. Meu amado clube Náutico é um puteiro, lá dentro não tem um que preste. Quem quiser que me processe. E os políticos que lá estão, já deviam estar acostumados a levar porrada, pois tem a cara de pau, usam óleo de peroba de manhã, de tarde e de noite. Aqui, graças a Deus só o Óleo ungido na Santa Missa.

E dessa? Só o som. Original.

E essa você mandou para o Fusca. Mas está desativada a incorporação. Então vai o endereço para os fusconautas/fuscopoetas/fuscoroqueiros e fuscoloucos:

E uns hai-kais de Christiana Nóvoa. No toitiço. Do site Releituras:

calendário

mês morto, mês posto:
a césar o que é de julho,
agosto pra tudo.

clarabóia

a lua clara
bóia como abertura
no teto do mundo

água na boca

garoa pinga
gotas da sua sede
na minha língua

como manda o figurino

traje de chuva:
roupa de cama me cai
como uma luva.

plasticismo

gotas na folha…
cada instante uma estoura:
plástico bolha.

mosktub

estava escrito:
se tudo está tudo perfeito,
vai ter mosquito.

O céu desce a terra…

Publicado: 19/09/2010 em Poesia

Somos todos poetas

Assisto em mim a um desdobrar de planos.
as mãos vêem, os olhos ouvem, o cérebro se move,
A luz desce das origens através dos tempos
E caminha desde já
Na frente dos meus sucessores.
Companheiro,
Eu sou tu, sou membro do teu corpo e adubo da tua alma.
Sou todos e sou um,
Sou responsável pela lepra do leproso e pela órbita vazia do cego,
Pelos gritos isolados que não entraram no coro.
Sou responsável pelas auroras que não se levantam
E pela angústia que cresce dia a dia.

Murilo Mendes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Não faz muito tempo matava um leão e fugia de dois.

Quando o amor era suficiente.

Não faz muito tempo rir e chorar pareciam a mesma coisa.

Quando o amor era suficiente.

Não faz muito tempo a pressão arterial enlouquecia e corria para o atendimento médico, deixando mais confusas as minhas artérias. Quando o amor era suficiente.

Perder a voz, gastar o dinheiro das suadas férias. Brigar, lutar, discutir, morrer se preciso fosse. Esquecer as coisas importantes. Quando o amor era suficiente.

Quantas vezes o milagre da vida estava ali na minha frente e eu cego de fundamentalismo, doente de paixão só enxergava duas cores.

Quando o amor era suficiente.

Mas a gente cansa, o juízo chega, as coisas importantes vão novamente ocupando o lugar no coração e agora o amor é suficiente. Para essas coisas. Importantes.

O fundamentalismo político , religioso, esportivo é doença.

Mata.

Afasta amigos.

Destrói.

Nada acrescenta em nossas vidas. Nem um covado à nossa estatura moral, como nos ensina Jesus.

Qualquer clube de futebol termina ocupando um lugar em nossas vidas como uma hera, uma intrusa, uma árvore que suga a verdadeira árvore. E nos leva, nos rouba, nos engana, nos trai. Não merece tanto.

O jogo acaba, a luz se vai, fica o silêncio, uma alegria apenas. Uma passagem apenas. Boa ou ruim, não importa . São muito pequenas.

Só de uns tempos prá cá fui acordando desse pesadelo. Desintoxicando.

Ainda tenho pesadelos. Ainda tenho recaídas. A droga é muito forte.

Mas o futebol devagar vai saindo da minha vida e ocupando o seu lugar de verdade. Quem disse a frase não sei. Perdoem-me a ignorância. Com certeza os amigos do Fusca saberão:

“O futebol é a coisa mais importante entre as coisas menos importantes.”

Ou algo parecido. Se não mexi no sentido da frase. Algo assim.

Nada de mágoas, rancores, desilusões. Nada de rasgar camisas, bandeiras, carteira de sócio. Nada de xingamentos.

A verdadeira desilusão é a grande parte desse milagre inteiro.

Os olhos estão abertos.

A vida se derrama inteira.

A poesia se faz companheira, fiel, por completo.

A saúde recomposta. Como posso pagar?

A família , os amigos, o trabalho, são o paraíso na terra.

E mais não digo.

 

PS – O Poeta Marcelino Freire encerrou o seu blogue Eraodito no dia 13/09. Li ontem. Sentimento de perda. Para ele , de uma dignidade imensa, escreveu um texto grandioso. Uma bela definição de saudade, de compartilhar as coisas boas da vida. O seu blogue, desde 2002, imaginem. Em 2002 eu nem sonhava ainda e tanta coisa boa já estava disponível na rede.

Amém geral para toda a família do Fusca.

Um dia a gente perde.

No outro a gente apanha.

No outro dão na gente.

E seguimos…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O segundo trimestre foi bom para a economia do país.

O segundo trimestre foi de geração de mais empregos.

Mais vendas de veículos, linha branca de eletrodomésticos.

Construção civil em alta. Explodem os financiamentos imobiliários.

A economia aquecida. A inflação sobre controle. Os lucros dos bancos nas alturas.

A Petrobrás lança ações no mercado. Descobre um novo poço em Libra.

Tudo bem…

Porém. Na vida particular.

Um cumpadre acaba de ser operado de CA na próstata. Grande amigo e alvirrubro. E grande pessoa humana , além de um fuderoso cirurgião. Até agora está tudo bem, vamos aguardar o desenrolar do tratamento. O cumpadre tá torando um aço da bexiga lixa e com certeza. Eu passei um fino da miséria e me borrei tudo. A tal da morte é foda mesmo.

Uma amiga de infância de minha nega véia , que mora na França e tem um filho com a mesma idade do meu Daniel, passou recentemente as férias aqui em Recife.

Vendendo saúde. Animação só. Feliz da vida nos cinquentinha. Cheia de planos…

Descobre que tem um CA no cérebro. Prognóstico desesperador.

E agora? Consolar minha esposa. Meus filhos que gostam muito dela. Ela, que nunca foi de reclamar da vida e praticava a medicina na França, longe do seu Brasil querido e sonhava sempre em voltar. Agora, no seu Facebook bota o vídeo Canção da Despedida. É de lascar meus irmãos.

Terceiro, para a obra ficar completa.

Um amigo. Um cara a quem posso chamar de amigo, passou a gravidez quase toda da sua esposa conversando diariamente comigo. Trabalhamos juntos. Almoçamos juntos. O bebê nasceu com sério problemas de saúde. Prognóstico delicado. Dizer o que? Fazer o que?

Vinha conversando agora com meu filho. Fomos pegar o carro dele no lava-jato. Nem nos chateamos mais com essa lapada do Náutico. Ponderamos a vida. Achamos a nossa fórmula. Na verdade estamos aqui para achar a saída para essa confusão toda. O dinheiro, pensamos juntos é um meio excelente. E só. Compra um bocado de coisas boas, importante. Mas não compra as coisas vitais.

Miramos no futuro. Tocamos nossas vidas. Não estamos mortos. Juntos nos abraçamos e oramos por todos os nossos amigos, do fusca, do BB, da Yellow House, do timba, do leão, da cobrinha. Oramos até pelos nossos inimigos, que é de arrombar essa oração. Sai toda enviezada. Mas sai. Um amigo meu inclusive levou uma toitiçada boa essa semana. Eu falei justamente isso. Reze por fulano (que tava lhe sacaneando no banco) e ele prontamente: eu vou lá jogar reza fora! Na hora o zé aqui tascou: Irmão: orações, rezas, nunca são jogadas fora. Energia boa sempre sobe aos céus. É leve. É do coração. Não fica na lama não. Sobe para as alturas. O cara travou.

Agora quem está travado sou eu.

Um forte abraço a todos. Oremos uns pelos outros. Que a vida não está prá brincadeiras e essas marolas são de afogar qualquer um…

Outdoor de João Carlos.

Publicado: 18/09/2010 em Poesia
FRASE DO DIA
“Leio a Playboy pela mesma razão que leio a National Geographic: Gosto de ver fotografias de lugares que sei que nunca irei visitar.”

 

FRASE DO DIA
“Cauterizar hemorróida de gay não é ato cirúrgico, é queima de arquivo.”

 

 

FRASE DO DIA
“Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite.”

 

   

FRASE DO DIA
“Ao invés de proibir o xixi no Rio, seria melhor proibir as cagadas em Brasília.”

A Lei protege o seu sigilo bancário, nobre cidadão.

A Lei também protege o seu sigilo fiscal, nobre cidadão.

Mas, quantas vezes descobriram seu e-mail, o telefone da sua casa, o seu celular para lhe oferecem por exemplo: Seguros, Cartão de Crédito, Leasing, CDC, Consórcios, Assinaturas de Revistas? E outras cositas más?

Ninguém quer ter a insegurança de que o Estado (a Receita Federal) ,não preserva a sua Declaração de Imposto de Renda. Deus nos livre. Precisa haver um pouco de ordem nesse puteiro merdamarelo.

E é claro que há. A Receita Federal é uma entidade séria. Alguns servidores safados não tirarão a sua imagem e idoneidade.

Você confia no banco onde deposita o seu suado dinheiro. Ganho honestamente. É óbvio u-lula-ntemente, que seria uma baita traição o seu gerente andar espalhando o seu extrato por aí. Ou vendendo. Ou tirando algum usufruto. Cadeia neste safado.

Mas isso não deixa nenhum arranhão em nossas instituições financeiras. Respeitadas aqui e lá fora.

Então, será que isso é motivo para um golpe de estado?

Não é muito melhor quem está perdendo buscar ganhar de forma honesta, mostrando que é o melhor candidato, tem as melhores propostas, é o mais preparado?

Não, não e não. Esse caminho é difícil. Tortuoso. Exige comunhão com o povo. Exige compromisso e seriedade. Exige sigilos quebrados, transparência. Exige caráter.

É tudo que Zé Alagão não quer. É tudo que Marina no Colinho do psdb também não quer. Pois não tem para oferecer.

Querem levar para o segundo turno no tapetão. Na base da porrada.

Por isso que, pela última vez até a vitória de Dilma no dia 03 de Outubro, eu não falarei mais de eleições 2010 aqui no Fusca.

A Tribuna continua LIVRE.

Mas eu sinceramente ,quero mais é que chegue logo o dia das Crianças, para eu poder ganhar a minha Caloi.